Encontros com a literatura fluminense: o resgate de B. Lopes em Rio Bonito

[photopress:blopes.jpg,full,alignleft]
A segunda caravana do projeto Encontros com a literatura fluminense desloca-se no próximo dia 22, sexta-feira, de Niterói para Rio Bonito, onde será lançado o volume da coleção “Introdução aos clássicos fluminenses” dedicado a B. Lopes na sua terra natal. Trata-se de um resgate histórico, tendo em vista que há quase 40 anos não é publicado qualquer livro que aborde a vida ou a obra de um dos mais populares poetas do final do século XIX – certamente o mais destacado dos simbolistas àquela época -, condenado injustamente a um quase total ostracismo no século passado.
B. Lopes, o poeta fidalgo, antologia apresentada e organizada pela professora Liane Arêas, será lançada às 18h30m, no Clube dos Diretores Logistas de Rio Bonito (Rua Deocleciano Guimarães, nº 15, Centro), com o apoio da Prefeitura local, que acolheu entusiasticamente o projeto Encontros com a literatura fluminense, da editora Nitpress. Um ônibus oferecido pela Secretaria de Educação e Cultura de Rio Bonito sairá de Niterói às 17h do dia 22, partindo do Calçadão da Cultura (Rua Visconde de Itaboraí, 222, Centro) e retornando após o evento. Os interessados em participar gratuitamente da caravana devem reservar seus lugares no ônibus – limitado a 46 passageiros – pelo email nitpress@nitpress.com.br.
Leia, abaixo, a apresentação editorial do livro:
A coleção “Introdução aos Clássicos Fluminenses”, da editora Nitpress, cumpre o seu papel de resgatar os grandes vultos literários de nossa terra, trazendo, desta vez, uma figura singular de poeta, cujo sesquicentenário de nascimento foi registrado no ano de 2009 – B. Lopes. Efeméride essa que, embora não olvidada dentro do meio acadêmico fluminense e tampouco na terra natal do escritor, o município de Rio Bonito, mostra, pelo descaso revelado pela mídia e pelo mercado editorial, o quão urgente e necessária é a tarefa de repor este e outros ícones de nossas letras em seus merecidos lugares de honra e respeito.
Talvez estivéssemos próximos de completar – salvo por algum livro que nos seja desconhecido – meio século sem publicação de obra de ou sobre B. Lopes, que, no dizer de Araripe Júnior, citado pela organizadora deste livro, teria sido o mais destacado dos “quatro mosqueteiros do simbolismo no Brasil” (Emiliano Perneta, Oscar Rosas, Cruz e Souza e o próprio B. Lopes). Portanto, este B. Lopes, o poeta fidalgo, organizado pela professora Liane Arêas, que ocupa justamente da cadeira do autor focalizado por esta obra no Cenáculo Fluminense de História e Letras, seria o primeiro livro lançado sobre o poeta desde 1962, quando veio à luz o volume que lhe foi dedicado pela coleção “Nossos Clássicos”, da editora Agir, com organização de Andrade Muricy.
Curiosa e intrigante é a figura de B. Lopes, tão bem retratada na primeira parte deste livro, composta de uma instigante pesquisa apresentada por Liane Arêas; ímpar a sua obra poética, exemplificada na seleta de textos da segunda parte. O mestiço nascido no vilarejo bucólico e inspirador de Boa Esperança, cromaticamente recorrente em seus versos, faz transbordar a necessidade de ascensão social em uma poesia fantástica, onírica, escapista talvez. O mais surpreendente, porém, é quando o poeta parece tornar-se personagem de sua obra, passando a representar uma fidalguia chapliniana na vida boêmia do Rio de Janeiro novecentista.
Tamanha riqueza literária, tal história de vida, a magia daquela boemia efervescente e produtiva, na companhia de figuras notáveis de literatos, como Machado de Assis e outros, que gravitavam entre a Confeitaria Colombo, os jornais, as livrarias e os cafés no final do século XIX, não são para serem esquecidas. É isso que Liane Arêas, ela própria uma atuante militante cultural, com intensa participação no Grupo Mônaco de Cultura, faz ao apresentar de forma fidedigna B. Lopes às novas gerações.
A organizadora deste volume prossegue com brilhantismo a caminhada inaugurada por Edmo Rodigues Lutterbach e Márcia Pessanha, que apresentaram as primeiras obras da coleção “Introdução aos Clássicos Fluminenses”, dedicadas respectivamente a Alberto de Oliveira e Casimiro de Abreu, e contribui para o esforço da editora Nitpress de valorização e resgate da memória e da identidade fluminenses.

Luiz Augusto Erthal
Publisher – Nitpress

Publicado em Lançamentos, Sem Categoria por admin. Marque Link Permanente.

Sobre admin

A valorização da literatura fluminense é o nosso maior compromisso. Seja no resgate dos escritores clássicos, responsáveis por um papel preponderante na formação literária brasileira, seja na divulgação dos autores contemporâneos, a Nitpress apresenta em seus livros a riqueza imortalizada pelos grandes nomes das letras fluminenses.

Deixe uma resposta