Pimentel de volta ao Campo de São Bento

Luís Antônio Pimentel evitou um “urbanicídio” – expressão cunhada por ele mesmo – ao liderar uma campanha na imprensa fluminense contra a abertura de uma via de carros e ônibus passando dentro do Campo de São Bento, referência de bucolismo e lazer na Zona Sul de Niterói. A ideia estapafúrdia surgiu nos anos 60 e foi barrada pela oposição popular liderada por ele, um dos mais importantes memorialistas da cidade, falecido há três meses, aos 103 anos de idade.
No próximo sábado, dia 25, a partir das 9h, o Campo de São Bento será palco de uma homenagem prestada pela Academia Fluminense de Letras, dentro da programação de comemorações dos seus 98 anos, com o relançamento do livro “Luís Antônio Pimentel, o polígrafo da alma fluminense”, décimo volume da coleção Introdução aos Clássicos Fluminenses, da Editora Nitpress. Haverá uma feira de livros organizada pela Associação Niteroiense de Editores de Livros (ANEL) e apresentação de banda de música.
O livro, organizado pelo professor Luiz Antonio Barros, é a primeira antologia baseada na obra completa de Pimentel, apresentando uma visão panorâmica sobre toda a produção literária do escritor. Outros títulos da Nitpress assinados por Pimentel, como “Haicais Onomásticos”, “Contos do Velho Nipon” e “O amor segundo Luís Antônio Pimentel”, estarão sendo relançados na ocasião.

Deixe uma resposta